• Fabrizio Caldeira

Operação investiga empresas fantasmas por sonegar ICMS de milho e soja

Polícia Civil de Goiás cumpriu quatro mandados de busca e apreensão: um em Goiânia, dois em Formosa e um em Acreúna. Seis são suspeitos.

Goiânia – Um suposto esquema criminoso destinado a fraudar recolhimento de ICMS em cargas de milho e soja é alvo de operação da Polícia Civil de Goiás, deflagrada pela Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra a Ordem Tributária (DOT) e que continua nesta sexta-feira (2/7). Seis pessoas são suspeitas de atuarem na corretagem de grãos e empresas fantasmas de transportes.


Realizada em conjunto com a Secretaria de Estado da Economia, a operação é coordenada pela delegada Fabiana Mancuso Ganga e foi deflagrada na quinta-feira (1º/7). Ela investiga possíveis crimes tributários e falsidade ideológica envolvendo empresas fantasmas para movimentação de grandes quantidades de grãos sem o recolhimento devido de ICMS.


Os nomes dos suspeitos não foram divulgados pela operação, que foi batizada de Demeter. Veja detalhes, abaixo:



De acordo com a investigação, os suspeitos teriam se utilizado de documentos inidôneos para dar saída, em sua grande maioria, de milho e soja de Goiás para outras unidades da federação sem recolhimento do imposto. Pela contabilidade da Secretaria de Economia, o estado sofreu rombo de milhões de reais por causa da suposta fraude. Não foram divulgados valores exatos.


A Operação Deméter deu cumprimento a quatro mandados de busca e apreensão: um deles cumprido em Goiânia, dois em Formosa e um em Acreúna. Os policiais civis apreenderam documentos, computadores, celulares e outros objetos que agora serão analisados e vão servir como fonte de provas.


Os objetos apreendidos também poderão ajudar a identificar outras empresas “de fachada” que estariam sendo utilizadas na fraude, origem e destinos dos grãos comercializados, além do prejuízo causado ao erário estadual.


O nome da operação é alusão à deusa da colheita e da agricultura.


Fonte: Metrópoles